Blog da Sally - corridas  
 



BRASIL, Mulher, de 36 a 45 anos, Portuguese, English, Esportes, Animais, Livros, Viagens
MSN -
border=0
 
   Arquivos

 
border=0
Outros sites

 Click Árvore
 Runner Brasil
 Projeto Esperança Animal


Votação
Dê uma nota para meu blog



border=0
 


Rio eu gosto de vc! Dicas!

Oi galera!

Semana passada estive no Rio de Janeiro participando de um congresso.

Pena que não tive tempo para passear e curtir a cidade maravilhosa. Afinal, quem paga as despesas do próprio bolso, sabe o valor de cada palestra assistida. Com alguma tristeza, deixarei os passeios pruma outra ocasião ( quem sabe num fim de semana, em havendo algum pacote promocional?).

Prá correr também não deu. Olhava com uma inveja boa ( no bom sentido!) da janela do ônibus que fazia os tranfers ( hotel - congresso- hotel) a galera correndo no calçadão. Legal ver a grande quantidade de pessoas que praticam corrida no Rio: eles é que sabem o que faz bem!

Somente no dia em que cheguei, pude experimentar a piscina do hotel ( o congresso começaria no dia seguinte). Subi até o terraço, toda animadona pensando nas braçadas que ia dar, até levei meus óculos de natação e... Me deparei com um cubículo d´água, onde com apenas uma braçada e meia atravessava a "piscina"...rsrs. Mas mantive a esportiva e lembrei daquela clássica lição de matemática da escola: se vc tem um quadrado, a maior "reta" vai de uma quina à outra ( se 1m x 1m, a reta terá 1,41m...que me lembre, acho q é isso...rs). Assim, fiquei nadando de quina a quina.

Um casal estava na "piscininha" ao lado, menor que a "minha" piscina. Se aquela "piscina" era menor ainda, devia ser a infantil? rs... Depois que eles saíram, resolvi checar de perto essa banheirinha e... De fato, era uma banheira: uma hidro ao ar livre!... Uau! Êeeeee vidão!...Fiquei uns bons vinte minutos, relaxando.

Bom, como não vou ficar falando de congresso aqui no blog, resolvi escrever umas dicas sobre o Rio para os turistas de plantão:

- se não quiser gastar meia fortuna com o táxi, pegue o "frescão" ( ônibus especial da empresa Real, com ar condicionado, daí o nome frescão). Ele faz o trajeto aeroporto Galeão ~Terminal Alvorada ( terminal de ônibus que fica na Barra da Tijuca), passando pela rodoviária ( Novo Rio), aeroporto Santos Dumont, Copacabana, Ipanema, Leblon, São Conrado e Barra. Para pegá-lo de volta na orla, basta esperá-lo no farol mais próximo ( não há pontos de ônibus na Avenida Atlântica, então eles páram nos faróis). Passam de 30 em 30 minutos.

- já se o táxi for inevitável, pergunte ao motorista o valor médio da corrida. Ex: de Copacabana até Galeão, cobram em média de 35 a 40 reais. Se ele te achar com cara de turista, diga que vá pegar outro táxi, que geralmente ele voltará atrás...hehe.

- não existem hotéis baratinhos, afinal a cidade vive do turismo. Mas, antes de reservar por telefone diretamente ao hotel, dê uma pesquisada no site da Decolar ( www.decolar.com). Vc terá boas chances de encontrar diárias pela metade do preço cobrado pelo próprio hotel!...

- no dia da chegada, já saia rumo a um supermercado ( ex: Sendas) comprar bebes ( e comes se quiser). No hotel que uma amiga se hospedou ( cinco estrelas), uma garrafinha de água da geladeirinha do apartamento, custava nada menos que 5 reais!... Tem ouro nessa água? rs...

- às vezes de ônibus vc chega mais rápido que de avião. Ô lei de Murphy, isso aconteceu comigo ( fui de busão na ida, e de avião na volta).

É isso ae! Curtam o Rio!

Samba do avião

(Antonio Carlos Jobim)

Minha alma canta
Vejo o Rio de Janeiro
Estou morrendo de saudades
Rio, seu mar
Praia sem fim
Rio, você foi feito prá mim
Cristo Redentor
Braços abertos sobre a Guanabara
Este samba é só porque
Rio, eu gosto de você
A morena vai sambar
Seu corpo todo balançar
Rio de sol, de céu, de mar
Dentro de um minuto estaremos no Galeão
Este samba é só porque
Rio, eu gosto de você
A morena vai sambar
Seu corpo todo balançar
Aperte o cinto, vamos chegar
Água brilhando, olha a pista chegando
E vamos nós
Aterrar...

 

Abraços e uma boa semana!

 

 

 



Escrito por Sally às 21h48
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Horário de verão, ou de televisão?

Oi galera!

Seria a televisão, um mal necessário?

Infelizmente creio que sim. Quinta passada dependi muito dela, para saber em que pé estava a confusão que se instalava na rua em que costumo passar. Na ida, percebi que haveria uma manifestação dos policiais civis reivindicando salários dignos. Até aí, normal. O que não se esperava, horas depois, é que o governador recebesse os civis com balas, bombas e tropa de choque; e não com diálogo. A rua virou um palco de tiroteio com dezenas de feridos. Achei por melhor esperar; era meu dia de rodízio, assim não poderia pegar vias alternativas. Fiquei acompanhando as notícias pela TV de um hipermercado, indignada não somente pela espera, mas principalmente pela forma desumana com que foram tratadas pessoas que dedicavam suas vidas à difícil missão de zelar pela segurança da população.

No dia seguinte, o país acompanhou pela TV outra tragédia: o sequestro/cárcere privado mais longo da história de SP, cujo triste final deu-se no sábado, quando os médicos declararam a morte cerebral da vítima. Final este,que o governador quis antecipar, declarando em "primeira mão" a morte da menina. Novamente faltou com o respeito. E, que ironia: o assassino está vivo; e a vítima, morta...

Ontem houve o debate dos candidatos a prefeito. Fiquei com pena do apresentador ( moderador), pois a platéia estava muito eufórica, atrapalhando o fluxo do debate em várias ocasiões. Ou melhor, não fiquei com pena dele, afinal o salário dele é mil vezes melhor que o meu, ou o dos policiais civis. Fiquei com pena é dos meus ouvidos, e dos ouvidos do povo. Povo não guenta mais ser feito de besta.

Desliguemos a TV. Pronto, silêncio total, de repente tudo ficou na mais santa paz!...rs

Sábado retrasado foi um dia memorável para mim: enfim convenci minha mãe a iniciar hidroginástica! Como nossa diferença de idades é grande, nunca imaginei nós duas fazendo o mesmo exercício ( ex: corrida) juntas. Então foi com alguma emoção, que participamos da mesma aula.

O domingo também foi bem agradável: corri os 10km da Santos Dumont. Minha 2a corrida do ano, a 2a com chuva, mas tem mau tempo não, afinal passa-se em frente à quadra da Vai-Vai!... Agradeço ao Marçon, pacer nota 10, graças a ele concluí em 59min37!  Um tempo que me deixa hiper feliz, visto meus poucos treinos. Bacana também é reencontrar a galera: Jack, Cesar ( vice nos 5km!) e Antony. Já estava com saudades de bater papo de corredor.

Mas voltando à TV: tem dias que ela nos reserva notícias boas!... Ontem foi outro domingo feliz! Hamilton vencendo na China ( sim, como já disse,sou McLaren/Senna forever!), Falcão e a seleção de futsal tirando um peso das costas e levando o ouro ( ironia, um brasileiro naturalizado espanhol perdeu o pênalti...rs), e o meu SPFC empatando com o Palmeiras ( yes, Rogério Ceni é o melhor goleiro!).

Assim é o esporte: existe rivalidade e algumas cenas feias, mas no final os próprios atletas e o público querem que o fair play e a honestidade prevaleçam.

Já na política, fair play tem sido sinônimo de pizza, e o povo paga a conta. Bom, no próximo domingo, quer queiramos ou não, através do voto que estaremos elegendo quem vai cuidar de nossas cidades. Independentemente em quem forem votar, só não façam como Dunga: se vc vê que time tá perdendo, é pra mexer,ô Duuuunga!...rs

Abraços e uma ótima semana!

 

 

 

 

 

 



Escrito por Sally às 21h30
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Vai ser diferente!

Oi galera!

E chegou mais uma primavera! Primavera, estação das flores, dos pássaros. Mas aqui em SP continuamos com frio, pancadas de chuva e meu corpo "adora" isso: é difícil me derrubarem ( não lembro quando foi a última vez que tive que faltar no trabalho ou em algum evento), mas quando entra outono ou primavera, vira e mexe tenho algo. Devem ser os equinócios...rs

Segunda passada aproveitei uma ida ao banco no final da tarde e corri 5km. Pela primeira vez desde que voltei a correr, peguei subidas. Deveria ter ido direto ao banho, mas insisti em ver a novela das seis. Estava muito bem, mas de repente, no meio da novela, comecei a bocejar de monte, e a sentir muito frio.  Assim que a novela terminou, fui tomar banho e liguei o chuveiro no "fervendo" ( raramente faço isso). Fiquei um tempaço embaixo dele... Adormeci sem jantar ( raridade, eu que sou esfomeada), e depois que acordei, medi a temperatura. Febre baixa ( 37,6oC), como imaginava. Droga, vou ter que faltar dia seguinte na natação!

Acordei um pouco melhor na terça, mas o bom senso dizia para ficar quieta, me limitando somente às atividades sentada ( trabalho e aula de inglês).

Na quarta não pude correr, pois fui visitar minha mãe no hospital onde operara dos joanetes pela 3a vez. Foi uma intervenção simples ( somente retirar alguns pinos). Mas a gente que é filho sempre fica preocupado. Como não há restaurante, apenas uma lanchonete lá, pedi um beirute, ruinzinho mas era o que tinha pra comer...

Quinta-feira acordei e senti falta da mãe ( ela teria alta hospitalar horas mais tarde). Sensação estranha ,faltar alguém a quem se dá bom dia sempre. Fui na natação, ainda na luta de concatenar cabeça/respiração + braçada + pernada... uff! Saí de lá cansadona de novo. Gente, nem quando eu corri maratona lembro de ter sentido tanto cansaço muscular!... Não, não posso dar trégua pois a seguir tenho que ir trabalhar. Trégua só na hora do almoço, mas caí na bobeira de comer um sanduíche no Rei do Mate. Adoooro chá mate, inclusive compro o solúvel deles para tomar em casa. Mas sabe-se lá pq, nesse dia o sanduba saiu mal feito, meio gorduroso. Eu já andava meio sem fome ( acho que o corpo ainda tava se recuperando), e joguei metade do pobre no lixo.

Sexta, oba, último dia da semana. Oba nada, a diretora do trampo chamou para me comunicar algumas mudanças internas, e aproveitei o gancho para desabafar que as coisas não iam bem, e que era melhor eu pedir transferência. Apesar da conversa ter sido difícil, de certa forma senti-me aliviada. Vixx, meu corpo ( mais precisamente o intestino) também deve ter se sentido "aliviado", e arghhhh...

E resolveu se estranhar comigo durante todo o findi. Paulistano já tá se acostumando com findi chuvoso. Que sina, por todo esse mês de setembro, é só chegar o findi, que chove e o frio aperta. Tá, pelo menos nesse não me faria diferença...rs

Sábado acordei cedinho para repor a aula de natação perdida na terça. Torci pras tripas ficarem quietas,rs... E deu certo: consegui nadar sem atropelos. Falando em atropelo, como mais pessoas costumam frequentar a piscina aos sábados, dividi a raia com outro aluno, e, para não corrermos risco de nos trombarmos, instintivamente diminuímos nossos ritmos ( um ficava esperando o outro chegar à ponta). O popular "enrolando". Curiosamente, o "enrolando" foi ótimo para mim: consegui terminar a aula sem aquele cansaço ( viva! ), e ainda tive pique suficiente para emendar uma aula de hidro.

As únicas vezes que eu tinha feito hidro na vida, era em hotéis/pousadas, com a monitora do local. Então pensava que hidro fosse aquela baba, mais pra relaxar. Mero engano! Essa hidro "de verdade" foi power, não parávamos a aula toda. Engraçado que alguns movimentos na água são bem difíceis pela resistência que a água oferece: experimente correr de frente até o outro lado da piscina, e voltar de costas. Ou flexionar os braços e movimentá-lo para fora e para dentro....rs. No final da aula, a professora leu umas palavras num livrinho ( não reparei se era a Bíblia ou um outro livro de pensamentos). Não lembro do texto, mas dizia algo como "para viver, é necessário antes morrer". No sentido figurado é claro. Entendi que, para evoluirmos na vida, temos que largar certas velhas situações que não nos servem mais ( ex: o trabalho). Me emocionei e saí da piscina revigorada.

Como não há mal que dure para sempre, enfim melhorei no domingo. No mesmo domingo em que Haile batera o recorde da maratona, em Berlim: 2h03min59seg. Esse é dos meus: Haile é asmático e mesmo assim, um vencedor! Como não tenho TV a cabo para ver tal façanha, me contentei com a TV aberta, onde a Ferrari literalmente ferrou com seu piloto, por causa de uma trapalhada nos boxes com um tal de "pirulito eletrônico".  Gente, eu sei que a maioria de vcs torce para os brasileiros, mas eu como eterna fã de Ayrton Senna, serei eternamente McLaren, seja qual piloto estiver na equipe britânica.  E à noite assisti mais trapalhada, no debate dos candidatos à prefeitura. É tanta mentirada por parte de alguns, que, se o nariz crescesse a cada uma, haja quarteirão pros narizes darem a volta!...

A semana passou rápido ( ainda bem para mim!), e já estamos novamente na segunda-feira. Fui estreiar um tênis novo para correr, e paguei o pato: no 6o km estava com os calcanhares doloridos ( isso pq parei 2x antes para arrumar os tênis), e parei mesmo a contragosto. Mas tênis tem que ser assim mesmo: nada de estreiá-los numa prova, aí sim é pagar um King Kong...rs

Tem uma música que adoro, da banda Radio Taxi. Segue a letra:

"Hoje eu acordei revolucionário
Querendo mudar minha direção
Tirei a poeira velha do armário
Zerei as contas com a solidão
Cansei de ficar na fila de espera
O mundo a girar na minha janela
Se alguém peguntar pra onde fui...já era
Diz que eu segui minha intuição
Eu tinha um peso na cabeça q o vento levou
Perdi o medo q eu sentia de ser como eu sou
Só quero saber...do que há de novo
Prá q viver de museu...quero tudo novo
Só quero saber...o q tem pela frente
O q vem depois de amanhã...vai ser diferente
Vai ser diferente!"

Vamos fazer "A" diferença!

Abraços e uma ótima semana!

 

 

 

 

 



Escrito por Sally às 20h20
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Planeta Água!

Oi galera!

Desde criança adorava brincar em piscina. Aprendi a boiar com uns 7 anos de idade, na piscininha de plástico de casa. "Piscininha", mas cabiam 3000 litros de água, demorava uma eternidade para encher, e a conta de água vinha grande...rs

Aos 8 anos cheguei a frequentar escola de natação, mas por ter sinusite, vivia tendo recaídas ( devido à água fria e ao cloro ). A médica recomendou que trocasse de esporte; como eu era criança não entendia o motivo ( só pensava, ai que chata! ), mas acabei migrando para o tênis. Mas depois, por incompatibilidade de horários ( eu fazia mil e uma atividades extra-curriculares: inglês, matemática, piano, coral), acabei largando também o tênis.

As corridas começaram na faculdade. Na Atlética ( ginásio esportivo), corríamos em volta do campo de futebol. Corríamos descompromissados, mais pelo prazer de correr em grupo. Também joguei um pouco de basquete, mas com tristeza acabei abdicando, pois não conseguia conciliar estudo com treinos 5x por semana. Num esporte coletivo, o senso de compromisso é fundamental, pois se vc falta a um treino, não só se prejudica, mas afeta todo o time.

A partir de 1994 fiquei 100% sedentária. Esporte comigo era só na televisão: Olimpíadas, Copa do Mundo, Brasileirão,...rs. Mas em 1997, vendo a vitória do nosso querido Emersom IserBem ( a quem tive o prazer de conhecer pessoalmente em 2005) na São Silvestre, falei pra mim mesma que um dia eu estaria ali, correndo. 15km naquela época me pareciam coisa de outro mundo, mas eu ia superar.

Somente a partir de 2003 a corrida e as provas entraram de vez na minha vida. Inclusive a SS, que concluí emocionada.

Mas voltando às Olimpíadas: as provas que eu mais adorava assistir, não eram as do atletismo, mas sim as da natação. Inclusive por serem provas mais rápidas e mais acessíveis ao telespectador ( infelizmente as TVs abertas brasileiras passam poucas provas de atletismo, já natação eles adoram mostrar na íntegra). Dava gosto de ver atletas de todas as nações, enfrentando e superando a água. Ah, e o Cubo d´Água, aquela piscinona, que sonho!...

Findos os Jogos de Pequim, jogaram um panfleto aqui em casa, de uma academia próxima, promovendo aulas de natação e hidro. Piscina aquecida, tratada com ozônio, preços convidativos e proximidade: um prato cheio pra mim: não resisti, e me matriculei!

Estou lá há uma semana, adorando as aulas. Acordando cedo, espantando a preguiça e o frio. Na primeira aula, fiquei encantada, como se estivesse sonhando: parecia um novo mundo, o Planeta Água. A professora passou alguns exercícios, mais para perceber em que nível seria meu ponto de partida ( não me afogo, mas não tenho técnica alguma de nado). Na aula seguinte, treinei a respiração do nado livre ( crawl), e as pernadas. Como era de se esperar ( acho que acontece com a grande maioria dos principiantes), tive dificuldade de conciliar tudo ( braço, pernada e respiração), e saí da aula ( são 45 minutos de aula) numa fadiga total. Não é falta de ar, e sim um cansaço geral, do corpo todo, provavelmente por ter utilizado uma musculatura ( movimentos) diferente da corrida.

Mas, como tudo na vida, será questão de treino: em breve pretendo conseguir nadar com estilo!... Outro desafio será conciliar natação com corrida. Não sou como muitos de vcs ( a quem admiro) que correm 5~6x por semana. Mais que 3x por semana não consigo ( antes por preguiça, agora devido ao pé). Com a natação, serão 5 dias de atividade física por semana. Espero aguentar...rs

Vida longa à natação, à corrida! Vida longa à saúde e às amizades!

Abraços e um ótimo domingo!

 

 



Escrito por Sally às 19h37
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Variar é bom!

Oi galera!

As eleições municipais estão chegando, e, apesar de política ser uma coisa "chata" ( e cada vez mais desonesta), o fato é que caberá a cada cidadão, votar naquele que será a autoridade máxima de nossa cidade nos próximos 4 anos.

Não cabe ao blog sugerir voto, mas a melhor dica é não ser ingênuo acreditando em tudo o que mostram no horário de propaganda eleitoral,  e sim, tirar conclusões mais objetivas. Se vc não é usuário do SUS ( Sistema Único de Saúde) ou se não tem filho matriculado em escola pública, procure conversar com usuários e pais de alunos para avaliar o grau de satisfação ( ou insatisfação) e melhorias necessárias. Se não é usuário de transporte público, procure trocar idéia com pessoas que dependem dele. É bacana trocar idéia não somente com usuários, mas se possível também com funcionários desses estabelecimentos: se o salário é ou não justo, se trabalham tranquilos ou sobrecarregados, se existe infra-estrutura ou falta material de trabalho, se há ( ou não) investimento no aperfeiçoamento dos funcionários ( cursos de atualização), etc.

É importante também avaliar a relação custo x benefício. Por exemplo, em SP, será que a Ponte Estaiada, tá mais para um belo cartão postal, ou realmente vale o investimento? E será que os prédios ( por exemplo os CEUs, AMAs), têm a infra-estrutura apropriada ( material adequado, funcionários capacitados)?

Ah, para nós esportistas, sem dúvida é importante que o novo(a) prefeito(a) valorize o esporte, com inclusão social e incentivo. Infelizmente o esporte ainda não faz parte da cultura da maioria dos brasileiros. As Olimpíadas acabaram de acontecer, mas mesmo assim não percebi pessoas sedentárias se animando ou se inspirando no evento, para iniciar uma atividade física.

Tenho procurado evitar votar nas "raposas velhas" ( políticos que já tiveram sua chance, foram mal, e insistem na candidatura), e dar chance a quem ainda não teve oportunidade. Time que tá perdendo, tem que mexer. Variar é bom! 

Variar também é bom nas corridas. Corredor de rua já sabe que é bom variar tipos de treino, percursos e pisos.

Segunda-feira experimentei variar o sentido: costumava correr com a direita virada para a rua, e nesse dia fiz o inverso ( direita para a calçada). Para minha surpresa, descobri que esse sentido proporcionava algumas subidinhas "chatas" ( mesmo a maior parte do percurso sendo plano). Já na 3a volta ( 1 volta = 1km) me senti "acabada": além da "novidade" do percurso e de sua maior dificuldade, parecia que o "eixo" do corpo mudou drasticamente ( não sei explicar direito, mas é como se o corpo estivesse acostumado com o sentido anti-horário e de repente fosse forçado a correr no sentido horário), gerando muita fadiga. Obviamente o tempo por volta aumentou ( 6min40seg em média) em relação ao sentido em que estava acostumada, mas fiquei feliz em ter conseguido completar 8 voltas.

Variar é bom!

Abraços e uma ótima semana!

 

PS: ***Vacinação contra a Rubéola, até 19/9/08 na UBS ( Unidade Básica de Saúde) de seu bairro. Homens e mulheres entre 20 e 39 anos***

 

 

 

 

 



Escrito por Sally às 20h59
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Órfãos de Pequim - 2008

Oi galera!

As olimpíadas terminaram há duas semanas, mas ainda sinto saudades dela.

Mas como assim, se nem estive na longínqua Pequim? Pois é, a TV tem o poder de zerar distâncias, de entrar nas nossas casas sem bater na porta, e, finda a programação, sair da mesma forma que entrou: sem deixar rastro.

Mesmo quem como eu não tem TV a cabo e acabou tendo que aguentar os cortes da TV aberta ( que raiva, mal pude acompanhar as duas maratonas!), foi contemplado com momentos que ficarão nas nossas memórias por um bom tempo. Na água, o Phelps com nada menos que 8 medalhas de ouro no pescoço. E em terra, o jamaicano Bolt fulminando todos os recordes na maior facilidade, com direito a caras e poses em plena corrida.  Já o reinado no ar ninguém tira da czarina Yelena Ishinbayeva.

O Brasil passou por muitos sufocos. O que era certo, em um segundo virou trágico: Diego Hypólito caiu em sua acrobacia final no solo. Por essa, nem ele, nem ninguém esperava. Ninguém é perfeito. Outro momento infeliz foi o sumiço de uma das varas da Fabiana Murer. Ninguém merece passar por aquilo!   E a última cena que nos deixou sem palavras foi a derrota do vôlei masculino para os EUA. Tá certo, cansamos de tanto perder final pra americano ( vôlei de praia, futebol), mas é triste perder de virada...

Mas o que fica na lembrança são os momentos felizes:

- Cesar Cielo, ouro nos 50m livres (21s30): adorei ver um pódio sem americano ( rs), e a emoção dele ao ouvir o Hino Nacional, emocionou a todos os brasileiros. Nesse link tem uma matéria bem completa sobre ele, vale a pena conferir:

http://www.revistapiaui.com.br/artigo.aspx?id=733&unica=1

-Maurren Maggi, ouro no salto em distância (7m04cm), a primeira mulher brasileira a conquistar um ouro em esportes individuais: após a injusta suspensão por doping, deu a volta por cima. Mostrou que não basta ser geneticamente privilegiada (ficar 2 anos sem treinar e já voltar conquistando medalha é algo incrível), tem que dominar também o psicológico. Ainda estou "ouvindo" o grito de guerra dela: "Vai!!!Vai!!!"

-meninas do vôlei, ouro: yes, pelo menos aqui vencemos os EUA, hehe! Só elas ( além do iatismo com uma prata e um bronze) para salvarem nossos esportes coletivos, se bem que quase beliscamos nos revezamentos 4 x 100m do atletismo, com um honroso 4o lugar tanto no masculino quanto no feminino.

Aliás, viva as mulheres! Espero que o governo passe a valorizá-las mais, pois está mais que provado que taekwondo, judô e futebol não são só para homens. Aliás, se o governo faz mesmo questão do Brasil 2016, deveria espelhar-se na excelente atuação dos ingleses em Pequim ( rumo a Londres 2012). Para tanto, teríamos nada mais, nada menos que mudar o país: melhorar a educação, a saúde, a inclusão social, diminuir a corrupção,... O fato é que nem governo, nem povo, estão muito a fim ( em tempos de eleição, é perceptível que candidatos que priorizam a educação não terão muita vez nas urnas, por incrível que pareça). Dizem que a voz do povo é a voz de Deus ( muitas vezes, para tristeza de Deus...).

Às vezes o povo diz cada uma... Basta um atleta ter uma vitória consagrada, que logo começam a inventar que ele é gay, ou que foi doping. E se ganhou a prata, e não o ouro, é porque são um bando de amarelões. Queria ver esse mesmo povo passando por um dia de treinamento como atleta. Dou 10 minutos para eles sucumbirem...rs

Se quisermos um país melhor, uma coisa a se mudar, é cuidarmos melhor do nosso jardim, antes de jogar pedra no telhado alheio. Confesso que durante as olimpíadas parei de treinar. No início foi o pé que ficou estranho, mas depois foi preguiça mesmo: muito levantamento de controle remoto e copos de refrigerante e mate...rs. Mas como o tempo não pára e não se vive de ilusões, fui voltando à rotina. Paguei o preço da involução pelas duas semanas paradas, e retornando com 5km, enfim voltei de onde parei antes das olimpíadas: 7km.

Vai!!! Vai!!!

Abraços e uma ótima semana!

 

 

 

 



Escrito por Sally às 23h04
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Olimpíadas de Pequim - 2008

Oi galera!

Dia 8 de 8 de 2008. Nessa data de números prósperos, começou mais uma Olimpíada, lá do outro lado do mundo.

Enquanto muitos aficcionados por números corriam aos cartórios para assinar os papéis dos casórios, começava o espetáculo da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos. Coisa de cinema, aliando tradição, criatividade e tecnologia. A subida do atleta chinês até a tocha olímpica... lindo.

Pena que tanta perfeição foi manchada pelo plágio.  A voz da menininha cantora, não era a dela, e sim de uma outra menina ( essa sim, merecedora dos méritos).

E o Lula, o que fazia lá? "Agora eu sou chinês, tenho um bilhão de amigos de uma vez" ( a la Mac Donald´s? rsrs). Bah, ele devia ter vergonha do pouco patrocínio e oportunidade que dá aos brasileiros, da inclusão, prática amadora e profissionalização no esporte. Foi lá pra fazer campanha pra trazer as Olimpíadas de 2016 pra nós. Total inversão de valores e prioridades...

Estamos em ritmo de fuso....Confuso!... Como não dá pra brasileiro acompanhar tudo quanto é competição, comprei um gravador de DVD. Procurei em nada menos que 9 lojas e não achei ( ou não vendia, ou estava em falta). Tive então que apelar pra internet.  Ou deve ser uma tecnologia atrasada ( prá variar, sou anos-luz atrasada em tecnologias), ou o poder aquisitivo da população está tão bom, que o consumo supera a fabricação. Como dizem as estatísticas e o governo, o brasileiro tá menos pobre ( ??).

Do que assisti ( ao vivo, pois ainda estou aprendendo a mexer no gravador), alguns momentos que me impressionaram:

- 9/8 ( sábado): Brasil perdendo no basquete feminino para as coreanas, no último quarto e na prorrogação. Segundo o jargão futebolístico, o jogo só termina aos 45 do 2o tempo...

- 10/8 ( domingo): Hungria empatando com o Brasil no handebol feminino no último segundo ( isso mesmo, faltando 1 segundo para acabar). Sendo mais exata, o jogo só termina aos 45:00:00 do 2o tempo...rs

- 11/8 ( segunda): Ah se o tempo voltasse... A Juliana não se contundiria... Ou, em se contundindo, seria logo substituída pela Ana Paula... É de doer o coração, duas atletas tão brilhantes do vôlei de praia, pecando pela falta de entrosamento. Mas elas ainda têm muito a mostrar, vamos torcer!

- 12/8 ( terça): Ficamos em 8o na ginástica artística feminina por equipes. Bem longe das medalhas, mas de grão em grão o Brasil vem evoluindo na modalidade. E é sempre lindo ver as meninas competindo!

-Já no Cubo d´Água, o Michael Phelps ( EUA) ofuscou geral, e a tendência é ele levar todas e se tornar o maior medalhista de toda a história dos Jogos Olímpicos. Quando ele foi gerado, deve ter passado umas 500 vezes na fila do motor turbo. Impessionante. Ian Thorpe ( AUS) deve estar dando vivas por ter se aposentado ( com apenas 24 anos de idade), assim não ter que enfrentar o fenômeno Phelps...rs.

Quanto à amadoríssima que vos escreve... Meu pé voltou a ficar estranho após a prova. Culpa do sprintzinho final que dei. Bom, ao menos corrigiram os tempos ( todos chips deram erro), e me deram um tempo final corrigido de 29min58seg.  Dei um tempo nos treinos e só corri 2x depois dela. Mas deixem comigo, que na próxima encarnação passarei 100x na fila do colchãozinho plantar ( meus pés ficarão mais fofos que de uma gata, de modo que mesmo pulando de uma árvore a queda será amortecida)! E, de quebra, passarei 1000x na do motor turbo, para quebrar algum recorde mundial, de preferência no atletismo. 

Abraços e uma boa semana olímpica!

 



Escrito por Sally às 21h54
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






"Mirim" de SBC, 03/08/08! Renascimento

Oi galera!

Após 6 meses de molho ( e 7 sem provas) devido à sesamoidite, enfim renasci na "mirim" ( 5km) de SBC, sob a bênção São Pedro que, após 1 mês de seca, hoje não economizou na conta dágua.
Tanto tempo sem provas, e mal lembrava o que botar na bolsa para levar na prova. Recorri à velha colinha ( um papelzinho pendurado na porta do armário, com itens para levar), as letras estavam até apagadas...rs
Chegando ao já conhecido e bonito ginásio de SBC, peguei o kit e encontrei o Roberto, que reparou no meu numeral rosa. Pensei: corri tantas meias aqui ( da 2a à 5a edição), e agora estou na mirim...rs
Como já foi comentado, chegar até a "casinha" da largada foi tumultuado.E a largada conjunta ( corrida 21 + corrida 5 + caminhada 5) não foi a melhor das idéias para nenhum dos lados. Mas, estávamos na chuva para nos molharmos mesmo ( literalmente)...rs
Diferentemente da Meia ( que reserva longas e íngremes lombas - creio que seja uma das meias de asfalto mais difíceis do Brasil), a Mirim não apresenta momentos de "emoção". Por isso mesmo, era perfeito para mim: depois da sesamoidite, todo cuidado é pouco ( uso palmilhas especiais, e treino em dias alternados, no plano, para não sobrecarregar o pé).
Larguei na casinha correta e ultrapassei incontáveis corredores e caminhantes. Até o km 2 isso era difícil, tamanha a aglomeração, mas depois o caminho ficou mais livre.
Cruzei o pórtico ( que saudade eu tinha disso!) em 30:12 ( segundo o chip doido da Corpore). Feliz da vida, por toda essa sensação boa que a corrida proporciona, e por ter feito um tempo bem melhor que o esperado ( para os meus parâmetros atuais - a volta após tanto tempo parada não é fácil!...).
Tive tempo de sobra ( só assim! rs) para trocar a roupa molhada, comer, descansar, deixar a bolsa no carro, constatar que a chuva havia dado uma trégua e arrumar um lugar para tentar tirar fotos da galera chegando ( no canteiro central, onde podia ver a ida e a volta da chegada). Consegui ver o Tamim ( que depois me contou ter tido falta de ar nessa voltinha, devido ao esforço final - mas está em excelente forma, visto que praticamente está sem tempo livre para treinar!), o Marçon ( que como "prevedor" - dissera completar em 1:55 - é ótimo corredor...rs) e o Roberto ( que também se superou). Que depois se juntaram ao Rei, Drica, Riso, Dimas ( não percebi que vc não constatou que eu era eu,rsrs), Tio Nelson ( que bom vê-lo correr!), Hideaki e Tony. Que bom, depois de tanto tempo (do meu sumiço), ver toda essa magnífica galera do fórum Runner Brasil (www.runnerbrasil.com.br ) reunida!!!
A Mirim pode ser "nada", para a maioria das pessoas. Mas para mim, o dia de hoje foi "tudo". Tudo de bom! Agradeço de coração a todos os amigos que torceram por mim, durante todo esse tempo...Valeu!...

Abraços e uma ótima semana!



Escrito por Sally às 23h06
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Paz ou violência: quem vencerá?

Olá galera!

Violência é algo que existe desde os primórdios da humanidade, e a que infelizmente estamos cada vez mais expostos no dia-a-dia.

Quando falamos de violência o que logo nos vem em mente é a violência física. Essa todo mundo abomina. Mas hoje em dia o que parece que está tão, ou mais "na moda" ( entre aspas!) é a violência verbal.

Recentemente sofri violências verbais ( ameaças) no trabalho, por parte de dois usuários. O curioso é que eram pessoas diplomadas. Pois é, diploma na mão não é sinônimo de educação. Quando a pessoa tem o rei na barriga, sempre quer ser o dono da razão, e qualquer detalhe que fuja aos seus planos justifica que grite um monte de impropérios e ameace o próximo: "eu te pego, você vai se ver comigo"!...

Violência pior sofreu uma colega do trabalho, por parte de outra funcionária ( por sinal, com diploma superior). A tal acusava-a de ter roubado seu celular. Gritou isso aos quatro ventos, pra todo mundo ouvir. Não adiantou os demais colegas pedirem calma, ou para procurar melhor o aparelho, quem sabe ela teria esquecido-o no carro?... Mas ela, cega de raiva, não dava ouvidos e continuava acusando a pobre colega. No final, o celular estava dentro do carro da própria acusadora. Esse episódio deixou a todos bem chateados, pois uma boa imagem pessoal e profissional que construímos e preservamos, de repente pode ser destruída em segundos por um louco qualquer. Imagine ser acusado de ladrão no seu próprio trabalho.

Não sei se essas pessoas são ou não praticantes de algum esporte. Talvez não sejam. Mens sana in corpore sano. Assim já diziam na antiguidade.

O conceito de bem-estar, diz respeito ao físico, ao psíquico e ao social. E isso é o grande presente que a corrida ( como outros esportes) nos dá. Correr nos traz paz física e espiritual, e nos torna mais tolerantes. Pois, ante a uma adversidade, não vale a pena partir para a violência, para a irracionalidade. Não se leva nenhuma vantagem sendo violento. Pelo contrário, só desvantagens. A tal do celular nunca mais deu as caras nos eventos sociais do trampo. E os tais usuários acabam criando sua própria fama de "barraqueiros".

Gosto dos treinos pois além de tudo, são momentos de paz e de realização. Mesmo em situações adversas, como a baixa umidade do ar. Anteontem foram 5km ( resolvi fazer um "teste"). Saí "forte" demais ( que erro primário...rsrs), não guentei manter o ritmo, quase desisti dessa história de teste no último km,... Mas completei-o em cerca de 31min ( não sei o exato pois meu cronômetro resolveu dar um tilt), o que me deixou feliz.

Hoje como a baixa umidade bateu na casa dos 19%, resolvi rodar 7km pegando leve. Enquanto corria, pensava exatamente no que escrever aqui. Para mim a melhor hora para pensar na vida quase sempre era a hora do banho ( parece que o barulhinho da água caindo do chuveiro e a sensação de limpeza "abrem" a mente). Mas hoje o ritmo confortável da corrida é que deu o insight. Espero ter muitos outros insights durante as corridas...rs 

Não sei se Gandhi praticava esportes ( talvez a ioga, por sua origem hindu). Mas é incontestável que ele foi um admirável pacifista. Que todos nós sigamos este exemplo de vida que ele foi. Paz sim, violência não.

Abraços e muita paz!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Escrito por Sally às 22h05
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Corrida e amizade

Olá galera!

Talvez pela passagem do Dia do Amigo ( 20/7), fiquei pensando nesses dias sobre amizade.

Dizem que ao longo da vida a gente diz "meu ( minha) amigo (a)" para +/- 150 pessoas. Não sei se ainda estou aquém, ou se já "estourei" a cota...rs

Às vezes a gente literalmente cai do cavalo, por nos enganarmos a respeito de alguém que pensávamos ser amigo. Isso nos deixa mal: sentirmo-nos feito palhaços ( quanto tempo e energia perdidos...), e inconscientemente "fechamos para balanço" para novas amizades, com receio de sofrermos outro revés.

Mas o tempo não pára e a vida nos abre novas portas, e a possibilidade de conhecer novos e verdadeiros amigos.

Penso que na escola ou no trabalho, as pessoas estão naquele ambiente, primordialmente para buscar instrução ou para exercer uma atividade remunerada. O convívio naturalmente faz surgir amizades, mas quando nos formamos, ou mudamos de emprego, a maioria delas infelizmente não resiste ao tempo e à distância. Isso quando não acabamos constatando que algumas pessoas se aproximavam de nós por interesse ( pedir o caderno emprestado para copiar a matéria da aula, obter alguma vantagem no trampo, ou "status", etc).

As atividades de lazer nos proporcionam qualidade de vida, e de brinde vêm as amizades. Nada é sempre perfeito, mas no lazer as pessoas estão ali voluntariamente ( sem aquela "obrigatoriedade" de estudar ou trabalhar), e portanto, mais "desarmadas" ( No Stress!).E nada melhor que um hobby em comum, como a corrida, para fazer iniciar e perpetuar amizades.

Às vezes até acontecem situações engraçadas, por exemplo, encontrar algum ex-colega de escola ou trabalho, de quem não se era tão próximo, em alguma corrida. E, a partir daí ressurgir ( ou melhor, surgir) uma boa amizade.

Nesses 5 anos a corrida tem me proporcionado amizades valiosas, o que me deixa feliz.  Agradeço aos meus amigos, por tudo o que são, e pelo que se importam comigo. 

Mas bom, vamos aos treinos, que é o que vcs querem ler neste blog: nesta semana estou em 6km, dia sim, dia não. Diminuí o aquecimento e o desaquecimento para 500m de caminhada, mas o 1o km da corrida faço lento ( ainda em processo desse aquecimento).

Terça-feira a umidade do ar estava muito baixa ( algo em torno de 25%), então senti-me exausta durante todo o treino. O ritmo médio foi de 6min40seg/km. Ruim... Engraçado que me lembrei da dica de um "amigo-da-onça" das corridas, que num dos raros momentos de "paz", disse para, em condições climáticas adversas como essa, diminuir uns 20 seg/km o ritmo. Até nisso a corrida é maravilhosa, pois até os "da onça" às vezes acertam!

Mas foi só cair aquela garoinha ontem ( 5a feira), e a umidade subir para 60%, que as coisas mudaram da água pro vinho: média de 6min20seg/km! Incrível mesmo, o efeito do clima sobre o nosso desempenho ( obs: 95% das pessoas são sensíveis às mudanças climáticas, e dentre os 5% "insensíveis" está, por exemplo, o meu amigo ultramaratonista Éber ).

Vida longa às corridas e às amizades!

Abraços e um excelente findi!

 

 

 

 

 



Escrito por Sally às 21h31
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Na baixa umidade

Olá galera!

Faz 3 semanas que não chove.

Alguns podem achar isso bom pq não precisam se molhar ou carregar um guarda-chuva,rs... Mas tanto tempo sem chuva é péssimo para a saúde, inclusive a dos corredores.

Outro dia fui correr num parque, aproveitando o local agradável e arborizado, e o piso de terra com cascalho que é mais propício que o asfalto para quem está se recuperando de lesão. Havia vários corredores treinando, todos bem mais rápidos que eu...rs. Logo na primeira volta, passa um cara e me diz algo como: "o estômago fica pesando né". Na hora não entendi nada então nem respondi, e depois fiquei pensando que ele quis dar uma indireta tipo "a barriga pesa na corrida né".  Só muito depois que a ficha caiu: ele estava se referindo à baixa umidade do ar!...

Ontem deu no noticiário, que em Urubici a umidade caiu para horríveis 7%. Dá pra imaginar o que é isso?...Estado de emergência!...

Entre 20 e 30% - Estado de atenção Evitar exercícios físicos ao ar livre entre 11 e 15 horas Umidificar o ambiente através de vaporizadores, toalhas molhadas, recipientes com água, molhamento de jardins etc. Sempre que possível permanecer em locais protegidos do sol, em áreas vegetadas etc.

Entre 12 e 20% - Estado de Alerta
Observar as recomendações do estado de atenção Suprimir exercícios físicos e trabalhos ao ar livre entre 10 e 16 horas Evitar aglomerações em ambientes fechados Usar soro fisiológico para olhos e narinas

Abaixo de 12% - Estado de emergência
Observar as recomendações para os estados de atenção e de alerta Determinar a interrupção de qualquer atividade ao ar livre entre 10 e 16 horas como aulas de educação física, coleta de lixo, entrega de correspondência etc. Determinar a suspensão de atividades que exijam aglomerações de pessoas em recintos fechados como aulas, cinemas etc entre 10 e 16 horas Manter umidificados os ambientes internos, principalmente quartos de crianças, hospitais etc.

Hoje inaugurei minha semana dos 6km. Apesar de ser sábado, escolhi a pior hora para correr: 13h...vixx! Foi ótimo ter esquecido de levar relógio, pois apenas me preocupei em completar a distância. Como só bebi água antes de sair, senti a boca seca ( o tal "peso no estômago" que o cara se referiu...rs) no último km, mas deu para terminar sem problemas.

Temo pelas gerações futuras, porque se a nossa já enfrenta as alterações climáticas, imaginem as próximas que virão... Não cabe a nós procurarmos culpados ( todo mundo sabe que a culpa é de nós seres humanos, que não soubemos preservar a natureza), e sim buscarmos soluções e tomar atitudes. Uma andorinha só não faz verão, mas se todos nós sermos mais amigos da natureza, os resultados virão.

Falando nisso, recomendo um filme para vcs ( é uma animação da Pixar, podem levar seus filhos): "Wall-e", que aborda o assunto de um modo divertido.

Abraços e um ótimo domingo!

 

 

 



Escrito por Sally às 21h31
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Um dia corrido!

Olá amigos!

Ontem precisei resolver um assunto em outra cidade. Para tanto, saí de casa às 07:30h, rumo ao ponto de ônibus. Após 20min de espera, ele veio, não abriu a porta de entrada e foi embora!...

Enquanto uma senhora balbuciava algumas palavras, não perdi tempo e saí correndo até uma avenida onde haviam mais opções de ônibus. Mas coincidência ou não, acabei pegando justamente "aquele" ( cheguei antes pq ele dá uma volta bem grande).

Subindo nele, pensei em falar pro motorista algo como "lembra de mim, aquela que vc deixou há 4 pontos atrás". Mas se por um lado a corrida nos dá agilidade e persistência, por outro nos dá paciência: o ônibus estava lotado, vida de motorista não deve ser nada fácil,... Deixei quieto e imaginei que quando eu pegasse o metrô, estaria mais confortável.

Ledo engano: o metrô já veio lotado, e a cada estação que passava, o aperto piorava. Parecíamos um cardume de sardinhas enlatadas. Isso em pleno período de férias escolares. Até que chegou numa estação onde muitos desembarcavam. Quase fui "levada" pela avalanche de sard...ops, pessoas. Imaginei que nossa megalópole não tinha mais solução: se por um lado a construção de novas linhas do metrô beneficiava milhares de pessoas, por outro aumenta o efeito sardinha...

Bom, chega de falar de correria, e vamos ao que interessa: as corridas! Tenho feito o seguinte:

- Dia sim, dia não: sei que a maioria de vcs treinam a maioria dos dias e descansam esporadicamente. Mas preciso desses descansos por prevenção, pois meu grande medo é que o sesamóide volte a dar sinal de vida.

- Aumentando 1km por semana: comecei com 3km, depois 4, e agora estou em 5km. Pelo mesmo motivo acima.

- Iniciando com 1km de caminhada, e terminando com mais 1km de caminhada: antigamente achava um "gasto de tempo", mas agora não mais, pois a caminhada ajuda o corpo a "acordar" e os músculos se aquecerem, preparando-os para a corrida. Nesse inverno então, é ótima!

Tenho conseguido progredir aos poucos: agora consigo correr para 6min30/km.

Abraços e uma boa semana!

 

 

 



Escrito por Sally às 21h21
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






De Ronaldo Gorducho a Radio Taxi

Olá galera!

Recuperar a boa forma física após meio ano parada: eis um baita desafio!

Que o digam desde amadores, até famosos como o Ronaldo "Fenômeno". A primeira luta ( para 99% dos atletas mortais), é contra a balança. Não tem jeito, parou de se exercitar, bote kilos a mais na balança... Ainda mais no frio, quando a fome aperta mais!...

(obs: não cabe, no blog, entrar na vida pessoal do jogador).

Ontem estava procurando uns papéis ( documentos), e no meio deles encontrei um exame de bioimpedância ( avaliação da quantidade de gordura - "massa gorda" e músculo do corpo - "massa magra") de 2004. Putz, estava pesando 5kg menos!... E, nem preciso fazer outra pra confirmar que a % de massa gorda, que já era acima da média para uma corredora de rua, disparou.

Sábado, dia em que muitos enfrentavam temíveis 700m de aclive ( para 7,7km) em plena Mata Atlântica, eu corria na planura do bat local ( os quarteirões ao lado de casa). Mas, o "efeito Ronaldo" me fez cansar o couro pra correr 4km para 6:45min/km. O pulmão não ajudava ( nesse dia não pela asma, mas sim por pura falta de condicionamento. Terminei esse dia um pouco desanimada, mas logo me lembrei que as coisas não "acontecem" da noite pro dia, e comigo não haverá de ser diferente, é claro... "Devagar e sempre", diria a sábia tartaruga.

Hoje preferi ir de esteira. Fiz 4km para 6:52min/km, mas achei o desempenho melhor que o de sábado, pois, embora a esteira cause menos impacto, ela exige que mantenhamos uma velocidade quase que constante, o que dá um ótimo exercício de ritmo. Procuro "quebrar" o tédio da esteira, vendo DVDs musicais. Um dos meus preferidos é a banda "Radio Taxi" ( sim, aquele dos anos 80).

Mês passado os fãs foram surpreendidos pelo falecimento do guitarrista, um dos melhores do Brasil, o grande Wander Taffo. Então rever esse DVD agora, continua passando alegria e energia, mas agora acrescida de saudade. Na comunidade do Orkut alguns ficaram questionando, se o Radio Taxi ia voltar ou não, " já que sem o Wander não seriam nada". Ainda bem que são absoluta minoria, pois a maioria, os verdadeiros fãs, respeitam o momento difícil e sabem que a banda é uma equipe onde todos têm o seu valor.

Ora, toda volta não é fácil. Ronaldo voltar, Radio Taxi voltar, eu voltar. Tudo a seu tempo. Mas, com fé e um pouco de dedicação, um dia dá certo.

Abraços e um bom feriadinho!

 

 

 



Escrito por Sally às 00h44
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Convivendo com a Asma

Olá galera!

Ser portadora de asma, numa cidade poluída, não é pudim. A minha sorte é que a minha ainda é leve, ou seja, não me traz limitações no dia-a-dia. Apenas uso a "bombinha" ( medicamento em spray) antes da atividade física, e às vezes às noites e pelas manhãzinhas quando necessário.

Ontem, dando prosseguimento à minha volta às corridas, fiz o mesmo trajeto anterior ( 01/07): 1km andando + 3km trotando + 1km andando. Mas, distraída, esqueci de usar o spray. Quando fui me lembrar, já tinha caminhado o 1o km. Voltei pra casa, usei o spray e, sem paciência para esperar ( para não desaquecer - a tarde estava um pouco fria), já parti pro trote.

Obviamente não houve tempo hábil para o spray funcionar...rs. Resultado: não foram 3 voltas prazeirosas como anteriormente, pelo contrário, foram 3 voltas um pouco sofridas. Pernas eu tinha, mas faltava pulmão!

Resolvi fazer a última volta um pouco mais rápida ( em torno de 6min40seg/km). Ainda bem que era a última, pois ao seu término, sentia como se me estrangulassem...creeedo!

Mas fiquei feliz pq o sesamóide não deu sinal de vida, eeeee!

Todos nós, temos nossas limitações físicas ( sejam fisiológicas, genéticas ou patológicas - doenças -  como são a asma e a sesamoidite). O que não podemos, é nos fazermos de vítimas ou coitados. Muito pelo contrário: todos somos capazes! Basta cada um de nós tomarmos as iniciativas, assim descobriremos do que realmente somos capazes, e, melhor ainda, o quanto podemos evoluir para nos tornarmos mais e mais capazes ainda!...

Abraços e um excelente findi!

 

 



Escrito por Sally às 23h31
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






Voltando?!

Olá galera!

Dá um pouco de medo de escrever isso pq não sei se vai vingar...

Mas, depois de um longo verão e outro longo outono, tô voltando em pleno inverno às corridas!

Dei 5 voltas por quarteirões perto de casa ( cada volta vale 1km): a primeira andando, da segunda à quarta trotando ( 3km) e a última andando novamente. Deixei as voltas acontecerem ao natural, sem cronometrá-las, mas devem ter ficado entre 7 e 8min/km. Meeeeu Deus, como é bom sentir novamente aquela sensação boa, de liberdade!!! De sentir-se capaz!!! É pura alegria!!!

Aqui vai um breve resumo dos 6 meses de molho:

-janeiro: parei de correr a partir da 2a quinzena, quando percebi que até ao andar, sentia o tal do sesamóide ( pé esquerdo), como se fosse uma pedrinha incomodando dentro do calçado.

- fevereiro: ortopedista, anti-inflamatório 1 semana, fisioterapia, ressonância ( que depenou meu bol$o, e confirmou a inflamação do sesamóide). Como o ortopedista me liberou para outros exercícios sem carga, até comprei uma bike, mas como pouco andei de bike, e ainda quando criança, não consegui me adaptar ( morria de medo de qualquer inclinaçãozinha do asfalto, vixx!)

-março: mais fisioterapia ( no total foram 20 sessões)

- abril: retomei as caminhadas. A sensação é muuuito boa, semelhante à da corrida! Converso com o ortopedista, que me orienta mais 1 a 2 meses sem correr, e sinto nas entrelinhas que seria preferível trocar de esporte. Comento que não me dei bem na bike...

-maio: por indicação da fisio, encomendei palmilhas especiais ( para pé "chato" e para sesamoidite do pé esquerdo). Essas palmilhas são moldadas, é engraçado o técnico quase "engessando" os meus pés para tirar o molde...rs. 

-junho: desanimei um pouco por causa do frio ( friozinho eu gosto, mas friozão com chuva detesto!), diminuí a frequência mas não larguei totalmente das caminhadas. Sentia-me mais ágil: antes fazia 6km/h, agora consigo 7km/h.

- hoje, 01/07: o tempo passa, e já estamos no 2o semestre! Durante todos esses meses de caminhada, após algumas delas sentia um incômodo quando estendia o dedão do pé, ou seja, o danado do sesamóide ainda querendo dar sinal de vida. Por isso botei ainda mais cautela na previsão do ortopedista, totalizando 3 meses ( e não 1 ou 2 como ele tinha dito em abril): foi de 2 semanas pra cá que parece que o danado parou 100% de dar sinal. Espero que seja definitivo!...

Gostaria de agradecer do fundo do coração a todos aqueles amigos que torceram por mim, durante todos esses meses. Foram vcs que mantiveram acesa a minha chama da esperança.

Agradecimentos especiais à Rivana ( fisio) pelo trabalho e pela paciência comigo, aos amigos PC e Rita  pelo carinho e preocupação quase que diária, e à minha cachorra Rubi que me acompanhou em muitas das minhas caminhadas, tornando-as 0 em monotonia e 10 em diversão!

Abraços e boa semana!

 

 

 



Escrito por Sally às 21h00
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]






[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
border=0